quarta-feira, 11 de julho de 2018

v>

O mistério do 7!




O mistério do 7

Quase toda a gente, entre clientes, amigos e muitas outras pessoas têm uma especial adoração pelo número 7, coisa que é interessante, pelo menos do ponto de vista numerológico e da observação das características positivas e negativas do número 7.

Por si só ele remete-nos logo, para o misticismo, acontece que, ele é muito mais do que misterioso e mágico, ele é incrivelmente revelador de grandes verdades.

O número 7 remete-nos igualmente para a introspecção de nós para nós, de forma a que consigamos encontrar a nossa verdade, não só a nossa verdade interior, como a nossa verdade perante o mundo. O que faço eu aqui? E que coisas eu gostava de fazer para mim?

É muito analítico o 7, e, talvez por isso ele nos leve a encontrar detalhe a detalhe todas as coisas em nós que marcam pela diferença, sejam elas positivas ou não, acabamos sempre por achar um ou outro pormenor a mais ou a menos, e talvez por isso o 7 seja aquele que é perfeito, até porque ele é precisamente isso. Perfeição. Tentamos a todo custo e instante encontrar a perfeição, seja isso através do espírito analítico, bem como do espírito crítico. Ao fim ao cabo, o 7 leva-nos às mais belas e nalguns casos assustadoras profundezas. E traz-nos todas as respostas.

E, quando não as traz, deixa-nos confusos, mergulhados entre mil e uma perguntas à nora e sem resposta aparente. Assim é o 7. É na solidão que se encontra com a sua verdade limando cada detalhe com a perfeição e intuição que tão bem o define. Ele sabe bem o que quer, às vezes só não sabe bem é como fazer.

Talvez por isso muita gente goste do 7. Pela sua capacidade de trazer verdades ao cimo, pela sua capacidade de raciocínio lógico e pela maestria com que analisa tudo. Sobretudo pela maestria com que alia o seu lado intuitivo ao seu lado racional, coisa que faz de forma absolutamente brilhante, e, talvez por isso, muitos acabam por se sentir um pouco intuitivos em determinadas alturas.

Acredito que se alguém se identificar verdadeiramente com um número, que mesmo que ele não conste no seu código numerológico, ele acaba por fazer um pouco parte de si, não tem como. Se se liga ao número ele liga-se a si. Não tanto como um número que esteja no código, óbvio, mas liga!

Do 7 espera-se além de perfeccionismo para perceber as falhas, nota-se-lhe um nível de exigência muito acima da média, e será também por esse motivo que em determinadas alturas, muitos se podem sentir como que obcecados com determinados assuntos. Não é por nada demais, é simplesmente o 7 a fazer o seu “serviço”. Ele traz justamente a capacidade de investigar tudo até ao mais pequeno detalhe.

Muito curioso e nada paciente, do 7 espera-se precisamente isso. Paciência a menos, apesar de muitos aparentarem tê-la (não a têm) muito menos quando há assuntos do seu agrado pelo meio. Mas é astuto o suficiente para saber esperar, e caso se incline à malícia, pode tornar-se menos correto para com os outros.

A quem gosta e sente afinidade pelo 7, acaba, mais tarde ou mais cedo por sentir necessidade de buscar respostas, às vezes respostas mais simples, mas, com um 7 a reinar, as respostas que procura predem-se muito mais com coisas complexas do que com coisas simples demais. Pretende-se, com o 7 buscar verdades e portanto, buscar o sentido da vida não será nada de estranhar.

Muitas vezes isso gera confusão e até desânimo ou descrença, acontece que o que um 7 mais quer é encontrar as respostas para as suas perguntas. E como é estudioso, ele não se vai contentar com coisas superficiais, ele vai ao fundo, ele mergulha bem fundo nas questões. De tão racional que é às vezes o sentido da vida vai-se perdendo por excesso de mente, coisa que acaba por lhe trazer tudo menos o que ele espera, e em última instância traz falta completa de objectivos.





Sandra L. santos 

Sem comentários:

Enviar um comentário