domingo, 3 de junho de 2018

v>

É impossível!!






Isso é impossível!!



As vezes sem conta que me disseram esta frase fez-me com toda a certeza do mundo mover as montanhas que fosse necessário mover para lhes provar o contrário. Sim é possível. Sim é tudo possível desde que te predisponhas a fazer o que mais ninguém quer fazer. Aquele trabalho que é o “sujo” que ninguém vê e ninguém quer ver. Aquele trabalho de bastidores que é o resultado de toda a soma que posteriormente se constrói! É o resultado daquilo que todos vêm, mas não querem trabalhar para tal!

Muitos sentem-se desmotivados, quiçá, destroçados quando lhes dizem “esquece, isso é impossível”. O que é manifestamente compreensível. Ninguém no mundo, penso, que gosta que lhes digam em tom castrador. “Tira daí o sentido”. Ninguém tem especial gosto por ser castrado mesmo antes de ter sequer tentado. Ninguém gosta que lhes ditem o funeral de algo que ainda nem sequer teve a sorte de poder viver.

A mim faz precisamente o efeito oposto. Faz-me ir até ao impossível lá buscar as provas para provar o quão errados estavam. Faz-me avançar. É, talvez, das frases que mais tenho ouvido nos últimos tempos, e ao mesmo tempo, a que mais estímulo me tem trazido. Porque é a castração que não quero viver que por seu lado anda de mãos dados com uma liberdade que me agrada!

O impossível é uma questão de inércia pura, mas acima de tudo é uma questão de comodismo. E quando o outros não saem ou não querem sair do mesmo lugar, tendem a querer castrar tudo e todos os que vêm ganhar asas, nem sequer colocando a hipótese de que um dia, podem precisar dessas mesmas asas para eles mesmo voarem. É uma questão de escolhas. Ir ou ficar! Prefiro mil vezes ir e voltar de novo do que nunca ir.

Prefiro falhar do que nunca ter sequer tentado.

A mim não me causa a mínima frustração falhar. Não gosto, claro que não. Seria tudo mais fácil se resultasse à primeira, mas como humanos que somos, seria estranho se não houvesse falhas. Elas existem e constam no dicionário, no meu dicionário também. As falhas fazem a perfeição. Elas limam, e de certa forma ajudam a que cada vez menos no futuro as haja. São fundamentais. Sem falhas não há crescimento.

Mas… há sempre um mas… há mínima falha, lá vêm os mais conservadores dizer em tom de glória. “Vês! Eu não te disse que era impossível!

Era possível sim.

Engraçado é, a quantidade de pessoas que se sentem felizes com isto… em vez de também elas tentarem, mas não, é tão melhor encostar-se á sombra da bananeira e enquanto se lança uma ou duas farpas, que nada mais são do que o reflexo daquilo que nós somos e elas simplesmente adorariam ser, mas falta-lhes a coragem.

Porque toda a gente sabe que o sucesso não nasce tipo erva daninha. Isso tem outro nome e chama-se inveja. O sucesso nasce quando é cuidado, regado e nutrido todos os dias. Também há falhas. Há obstáculos. Há tropeços. Há recomeços. Há mil e uma coisas para impedir. É óbvio que há. E isso é só um teste.

Um teste à tua capacidade de erguer.
Um teste à tua paciência.
Um teste: é isto mesmo que queres.

São muitos os testes e também muitas as vozes de opressão que a todo o tempo nos tentam dissuadir. Calar. Fazem 30 por uma linha e até gozam, na verdade gozam porque eles querem fazer o mesmo, mas como lhes falta a coragem gozam. Há que tentar ridicularizar tudo para tentar apagar a dor de não ter coragem de fazer o mesmo ou melhor. Há magoa por detrás desse gozo miudinho, e há sede de fazer igual. Há sede de chegar ao mesmo lugar. Acontece que para esses “isso é impossível”!

Não é nada impossível, só dá trabalho e é tão melhor o conforto do trabalho que outros podem ter por nós! Se alguém descobriu a água porque é que eu tenho que descobrir o vinho? Já existe água. Vou-me chatear!

Claro que me vou chatear. Quero mais. Só que há não me chega. Não me basta. Não me satisfaz. Não é concreto. Não me preenche.

Se quiserem continuar a dizer “és doida, isso nunca vai resultar” pois que digam, que um dia cá estarei para lhes dizer que consegui e que sim resulta e que sim, é possível e que sim, consegui algo de bom não só para mim, como para ti. Porque tudo o que é inventado nunca é só em prol de um só ser. As criações são a partilha do conhecimento em prol de um bem comum.

Claro que temos que nos reinventar. Temos que falhar. Temos que conviver com a escassez, muitas vezes de informação. Temos que lutar. Temos que ver mais além mesmo que o caminho seja escuro. Temos que saber assumir as falhas, mas sem necessariamente nos sentirmos culpados por isso. Temos que abdicar de muitas coisas para poder continuar a dizer “é possível”.. é uma luta. Constante que eu escolhi fazer, e da qual não me arrependo nem um bocadinho de ter entrado!

Tem momentos maus? Óbvio que sim. Alguma vez foi verão o ano inteiro? Não pois não. Tem momentos péssimos e dias tão cinzentos em que só me apetece deitar os livros porta fora e dizer “basta”. Mas em vez disso penso “talvez seja melhor perceberes onde e porquê estás a falhar”.

Acho e acredito piamente que a frase “é impossível” vem da simbiose perfeita entre o fracasso e a frustração.
Ambas de mãos dadas podem levar os melhores guerreiros a desistir de batalhas que eram para ser suas. Não é nada impossível, o teu fracasso e a frustração consequente é que te levaram a pensar tal. Pensa no porquê de fracassares e no que te leva a sentir frustrado no meio disso e perceberás que afinal, o problema está à tua disposição para ser resolvido. Pega nele. De novo. Sem medos. Olha-o de frente e pergunta-lhe. O que está mal? O que tenho de mudar? Como posso fazer isto de outra forma?

Não nada é simples. Nada se constrói com tanta facilidade assim e por detrás de cada vitória houve um sem fim de derrotas antes, houve fracassos. Houve luta. Houve trabalho e acima de tudo. Houve um acreditar firme de que era possível.
Mas não é possível de mãos a abanar. Não é possível sem conhecimentos ou estudos. Não é possível sem paciência. Não é possível sem trabalho árduo. Não é possível sem determinação. Não é possível sem empenho.

Ninguém disse que era fácil, só disseram que era possível.
Ninguém te ensina como lá chegar, só lá chegaram.
Ninguém te mostrou as quedas, mas tem que as haver.
Ninguém te vai dar o peixe, só te ensinam a pescar.
Ninguém te vai dizer o mapa do sucesso, tu tens que encontrar o teu.


Sandra L. Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário