quinta-feira, 31 de maio de 2018

v>

Energia Junho | Tarot


Energia principal do mês: O Carro
Energia secundária do mês: O Mundo

Chegamos ao mês que marca o meio do ano. 
Metade de 2018 já quase que lá vai.
Assustador não é? Ainda ontem foi Ano Novo.

Que fez com o seu tempo? Fez o que lhe foi pedido? Mudou? Trabalhou? Lutou? Deixou doer? Deixou ir?

Será que Junho vai trazer as revoluções que tanto precisamos? 


Junho vai permitir finalmente o fecho de inúmeros ciclos. Tudo o que tem vindo a trazer consigo por impossibilidade de fechar ou de resolver poderá ser solucionado este mês. Todas as situações que não cabem a si fechar podem agora ser resolvidas. 

É como se a vida se organiza-se e fizesse uma “limpeza de meio ano” e fecha o que precisa de ser resolvido.

Atenção que a vida não irá resolver o seu problema se continua em negação. Dói olhar para os problemas. Eu sei que é muita dor para uma pessoa só! Mas olhe as coisas de frente, faça a sua parte. Para seu próprio bem faça.


O caminho abre-se agora para fecho de ciclos.


É claramente um mês de resoluções, organizações, fechos e harmonizações.
Claramente é um mês onde conseguirá limpar a casa, se souber aproveitar estas energias.

Poderá ser duro. Mas será sem qualquer dúvida, benéfico. Para conseguir avançar terá que primeiro resolver, e até agora várias questões têm impedido essa resolução, mas Junho traz a chave para tudo. A chave poderá não abrir a porta que deseja mas irá permitir-lhe trazer-lhe alguma serenidade.


Junho traz a chave. Pegue nela e feche definitivamente portas que levam ao passado. E vire-se para novas portas por abrir.


O desconhecido é sempre assustador mas será certamente melhor do que a mágoa e sofrimento onde se encontra mergulhado. E verdade seja dita, já pouco o alivia.

Perdoar já não funciona, não pensar também não, pensamentos positivos a poucos avanços levam. A solução é mesmo fechar o ciclo. Deixar ir. Deixar morrer.


Deixe morrer o seu passado. Deixe. Sem culpa.


Coloque cá fora o que sente. Expresse os seus sentimentos, por muito feios que sejam fale deles, não os negues. Negar o que sente, por muito mau ou egoísta que seja é negar-se a si mesmo. 

Permita-lhes viver mais um pouco e depois acabe com eles. Abandone-os. Deixe-os ficar. Jure a si mesmo não voltar a recorrer a eles para nada.


Harmonize tudo e renove-se. Dói mudar a pele, tem que doer, senão facilmente voltaria a comportamentos antigos. Dói para aprender, para não se esquecer.


Não se deixe enganar, por curas milagrosas ou terapias que resolvem tudo com a repetição de frases feitas, ou curas de uma hora. Não é por ai. Espiritualidade barata não resolve.



Renove-se. Mas não se deixe levar pela necessidade de revisitar sempre a dor. Reviva e acabe com isso.



Este não será um mês de grandes celebrações. A energia pede contenção. Como se fosse um momento solene que precisa-se de respeito e de consideração. Não ganhou a luta, simplesmente deu um passo. Sinta-se orgulhoso de si, mas não se deixe inebriar pelas conquistas.  


Na verdade não fez mais que a sua obrigação.
Encare tudo com a seriedade necessária.


Lembre-se que ainda há muito para fazer, não se iluda, mas também não desanime. Reconheça o caminho e que ele se faz um passo de cada vez. 
Um momento atrás do outro. 
Uns de felicidades outros de dor. Um de cada vez.


Foque-se nas suas forças e qualidades para conseguir enfrentar o que ai vem. Não desanime nem se resigne. 
Lute por ser sempre melhor. 

Mas escolha bem as armas que escolhe para as suas lutas – saía da mesmice, saía do rebanho.


Métodos antigos não trazem novos resultados.



Com Claridade e Persistência, 
Joana Cristina Pinto

Copyright© 2018 - Joana Cristina Pinto - Todos os direitos reservados

Sem comentários:

Enviar um comentário