segunda-feira, 16 de abril de 2018

v>

Semana de 15 a 21 | Numerologia | As tendências




Ontem entrámos na terceira semana deste mês, a qual é plena de mudanças, algumas, abruptas. No entanto não há mudanças, normalmente, que sejam para nosso mal, portanto, há que aceitá-las tal como vêm. Virão certamente por um bem maior.

Esta semana representa uma espécie de preparação, não só para a semana que vem, como para o mês que vem, bem como para a nova fase do ano que está aí à espreita. Pelo que as mudanças devem ser todas feitas ou quando muito pensadas, agora. Sem desculpas. Sem hesitações. Sem se limitar. Aceitando o que é sem grandes complicações!

Quantas vezes não damos por nós a resistir imenso a algo que, mais tarde ou mais cedo, vamos acabar por cruzar com?? É precisamente isso que esta semana pede para que evite. Não resista àquilo que no fundo até sabe que mais dia, menos dia, vai ter que lidar.

Ninguém disse que é fácil ou que não custa. Dói? Sim. Custa? Imenso. Mas, quem disse que é fácil mudar? Lá porque as mudanças são boas não significa que as mesmas sejam fáceis de implementar! Algumas podem tocar a crueldade, porque nos vão tirar da zona de conforto. Sim. Muitas dessas mudanças vão, diria, que colocar-nos à prova, fazendo com que percebamos, com os nossos olhos e sentidos, exactamente o que elas pretendem de nós. Algumas vão testar a nossa resistência ao máximo.

E, aqui, resistência tem que ver com a capacidade de resistir a tempestades, e não resistência de impedir que as coisas venham. Essa não deve sequer ser colocada em cima da mesa. A nossa capacidade de adaptação será testada ao máximo bem como a nossa força.

Seremos ou não capazes de mudar para algo que vai completamente fora da nossa zona de conforto?
Seremos ou não capazes de mudar para algo que no fundo queremos mas que é tão diferente que quase nos deixa sem chão?
Seremos capazes??
Será que a nossa capacidade de resistir a tempestades é suficientemente forte para abraçar tudo isso??

Em alguns isso não será tão verdade assim, pelo que há que trabalhar a fundo e de forma bem ponderada naquilo que quer. Aquilo que está por vir, e que no fundo sabe que não vai conseguir evitar eternamente. Por muito que tente, será bom. Aliás, sabe que é bom, no entanto também sabe que será uma volta enorme. E como sabemos, voltas grandes na vida trazem de certa forma um rebuliço tal que nem sempre é agradável. No entanto sonhamos com o bom que seria esse dia chegar, finalmente, às nossas vidas, porque sabemos de igual forma que nos faria muito bem.

Por outro lado, esta semana sugere precipitação em acções bem como impaciência e impulsividade, o que seria de todo o interesse evitar, porque mudar é bom, mas à toa é prejudicial.

Sugere-se que trace bem um plano e que faça as coisas que tem de fazer sim, no entanto de pés bem assentes no chão. Porque tudo o que for feito no ar, esta semana corre o risco de ficar desfeito na mesma hora já que a pressa é inimiga da perfeição e ambas de mãos dadas podem fazê-lo dar dois passos atrás em vez de um em frente, o que seria desnecessário.

Organize-se no sentido de mudar, aliás, esta semana trará, também a vida, sozinha as suas surpresas no que toca à mudança, mas, ela também pede que sejamos nós a fazer a nossa parte do trabalho. Será como que: ela coloca-nos o “problema” à frente, a nós cabe agir em conformidade. Pede-se, ainda especial atenção a; agir em conformidade não é a mesma coisa do que agir por conveniência. Ou seja; não faça o contrário do que quer. Deseja e gostava de fazer só porque entende que não é agora para fazer, porque é!!

É como se a vida nos estivesse a dizer: “Como é, vais resolver as coisas e eu ajudo-te, ou vais continuar aí, confortável com o que tens só porque não estás para suportar tudo o que possa vir atrás dessa mudança?”. É desta forma que a nossa força, principalmente a interior e a de vontade será testada. A vida está a pedir transformação. Pede que rompamos de vez com o velho que já não faz sentido manter. Não faz sentido manter algo ou alguém na nossa vida se isso já não nos dá nada, pelo contrário, só tira.

Mas faz ainda menos sentido manter isso só porque dói mudar. Dói admitir que é o fim. Dói falar. Dói fazer. Dói deixar tudo.

Dói é verdade, mas também é verdade que muitas das vezes é a dor que leva à mudança. Porque dói menos mudar do que manter algo que é mais doloroso ainda.

Portanto esta semana transforme, use-a para mudar, para deixar entrar a lufada de ar fresco que tanto procura. Use-a para se libertar. Acima de tudo para isso. De pés assentes no chão e de forma ponderada, mas não deixe de fazer isso, por si!



Sandra L. santos 
e

Sem comentários:

Enviar um comentário