terça-feira, 27 de março de 2018

v>

Método das terapias!!




Hoje venho falar sobre mais um tema que me parece que tem que ficar claro!!

Fazer terapias sem o conhecimento do outro. Ora bem aqui temos muito para ser falado.

Não se faz terapia alguma sem que a pessoa saiba. O caso mais comum é entre casais, a mulher querer uma harmonização de casal, por exemplo, e vai sem o marido sequer sonhar. Isto é grave, porque sem saber não está a harmonizar nadinha de nada. Sim a única coisa que faz é amarração!! Pura e dura. Sem efeitos especiais, que é para ter mais impacto.

Não se faz nada sem o conhecimento de terceiros. Nada. A menos que queira entrar num panorama negativo, entre discussões e mau estar provocado pelo ambiente que se instalou por causa do que fez, sem o outro saber, claro está.

Depreendo que, se quer estar bem, é porque não quer estar mal, então é melhor pensar duas vezes antes de pedir aos terapeutas para fazer terapias que mexam com energias é mil vezes melhor pedir autorização. Uma coisa é fazer uma terapia, que não influencie a energia do outro tal como uma consulta de tarot por exemplo. Uma pergunta sobre o outro, não morre ninguém, mas, uma consulta de reiki já é bem diferente.

Não se mexe na energia dos outros sem que os mesmos tomem conhecimento disso e autorizem.

Isto funciona de forma simples. Por muito que os terapeutas digam que pode. Não pode. Porque isto é a mesma coisa que lhe mexeram na conta bancaria sem que você saiba ou autorize. Gostava?? Presumo que não!!

Outro caso comum é entre amigos.

A minha amiga precisa muito, mas tem medo /Não quer vir.
Lamento, mas vão ter que ter paciência. Se a pessoa não quer se ajudada, é um processo dela, e, por muito que nos custe, temos de nos deixar estar no nosso canto até que a pessoa aceite se ajudada. Se não, voltamos ao ponto acima.

É como roubar dinheiro da conta do amigo sem ele saber, e depois?

Depois, para já se ele descobre, pode não achar piada nenhuma, e depois, tal como numa conta bancária, quando nos retiram dinheiro sem sabermos ou autorizarmos, como ficamos? Chateados, irritados, fora de nós… aqui é semelhante.

Essa ajuda pode ter o efeito precisamente oposto à intenção inicial, ou seja, pode não só não ajudar nada, como pode ainda fazer muito pior.

Quando, alguma vez vos disserem que é sem problema fazer terapias que mexam com energias, sem o outro ter conhecimento, tenham cuidado, pois podem muito bem estar a fazer um trabalho danado o qual vos pode sair caro. Pior a emenda que o soneto!!

Um bom terapeuta nunca iria sequer sugerir tal feito. Um bom terapeuta certamente conhece a lei do karma e das energias, pelo que esse nunca sugere coisas desse calibre. Um bom terapeuta vai, muito provavelmente explicar o porquê de não se poder mexer assim com energias, e provavelmente vai mais longe, dando-lhe uma ideia geral de como as energias funcionam.

Um bom terapeuta não lhe vai dizer que sim, só porque você está a agir de boa-fé e bem-intencionado mesmo sabendo que isso o poderá vir a prejudicar. Os terapeutas éticos sabem perfeitamente que ao trabalhar determinadas energias de determinadas formas pode constituir um problema grande, não só para ele, como para o cliente.

Ele sabe que se você quer harmonizar, sabe claro que tem que pedir autorização ao outro para fazer essa mesma harmonização, porque um terapeuta sério, sabe que para harmonizar, ambos têm de estar em sintonia com essa escolha.
Harmonizar, ou outro tipo de coisa, sem os outros saberem é a mesma coisa que um rapto. A outra pessoa sente-se obrigada a “obedecer” a tais energias, mas está ali contrariada e com todo o seu mau-humor do mundo. Ora não é preciso dizer que isso é tudo menos harmonia, pois não?



Sandra L. Santos 

Sem comentários:

Enviar um comentário